Weby shortcut

Comissão de Atividades de Extensão

Atualizado em 30/10/15 08:55.

Extensão na Faculdade de Farmácia

"Brincar com crianças não é perder tempo, é ganhá-lo;

se é triste ver meninos sem escola, mais triste ainda é vê-los sentados enfileirados em salas sem ar, com exercícios estéreis, sem valor para a formação do homem."

(Carlos Drummond de Andrade)

 

Pelas palavras de Carlos Drummond de Andrade, nosso grande poeta farmacêutico, podemos traçar um diálogo sobre a importância extensão. A possibilidade de permitir o diálogo da academia com a sociedade, permitindo, além da sedimentação de conhecimentos de sua formação, também a atuação junto à comunidade, ampliando habilidades da formação humanística do indivíduo.

Segundo o Plano de Desenvolvimento Institucional da UFG, para o período 2011-2015, “entende-se a extensão universitária como uma forma de interação entre a universidade e a sociedade. Trata-se de um processo educativo, científico e cultural que, associado ao ensino e à pesquisa, procura promover laços de cooperação entre universidade e sociedade, para estabelecer uma relação transformadora na medida em que a universidade também aprende com os saberes produzidos pelas comunidades com as quais interage. Esta interação é imprescindível para a formação do estudante e para a produção do conhecimento.

A relação com a comunidade, é prática frequente na história da Faculdade de Farmácia. Esta é realizada por diversas iniciativas, como a prestação de serviços à Comunidade, envolvendo, também, o Ensino e a Pesquisa. Esta prática já consolidada na realidade da FF-UFG, foi oficialmente estruturada na instituição em 1971, com a estruturação do Laboratório de Análises Clínicas “Rômulo Rocha”. Outra atividade, também consolidada, é a realização de eventos de capacitação, como a Semana Científica de Farmácia, hoje, Congresso de Ciências Farmacêuticas do Brasil Central. Também há a Revista Eletrônica de Farmácia, com objetivo de difundir informações científicas. E ainda, a faculdade vem, progressivamente, aumentando o número ações de extensão e cultura cadastradas, duplicando o número nos últimos sete anos.

Verificando a indissociabilidade do Ensino, da Pesquisa e da Extensão, pode-se observar a interface destas em diversas atividades realizadas, como o programa PET-Saúde, Projeto Rondon, estágios estruturados de forma a garantir a proximidade da comunidade. Além disto, também já foi contemplado com o Programa de Extensão Universitária (ProExt), do Ministério da educação.

 

Profa. Dra. Nathalie de Lourdes Souza Dewulf

Presidente da comissão que coordena as atividades de extensão.

Listar Todas Voltar